A origem da Devoção a Aparecida

A origem da Devoção a Imagem

No início do século 18 o episódio que deu início ao culto de Nossa Senhora Aparecida em outubro de 1717, os pescadores Domingos Garcia, Felipe Pedroso e João Alves ficaram encarregados de garantir o almoço do governador de São Paulo e Minas Gerais, dom Pedro Miguel de Almeida Portugal, Conde de Assumar, e de sua comitiva, que visitavam a Vila de Guaratinguetá, no vale do Paraíba, a caminho de Vila Rica, atual Ouro Preto.



Após várias horas no rio Paraíba, os pescadores ainda não tinham conseguido pegar nenhum peixe, quando retiraram das águas a imagem de uma santa sem cabeça  em seguida, lançada a rede novamente, encontraram a cabeça da imagem, apartir daí, a pescaria foi tão boa que eles encheram suas canoas e cumpriram a sua obrigação com o ilustre visitante.

Comércio

Boa parte da população local tira o seu sustento através do movimento em torno da Basílica, o comércio da fé, como é chamado na região, tem seu sustento através das pessoas que vêm agradecer ou pedir graças à Padroeira do Brasil, barracas com flores, velas, imagens, quadros, camisas, calendários e todos os tipos de objetos com a imagem de Aparecida e outros santos podem ser encontrados nas barracas das feiras locais.

Capela das Velas

É em uma das salas do Santuário Nacional que fica a capela das Velas, no local há sempre uma infinidade de velas acesas, de todos os tamanhos, cuja fumaça faz desenhos na abóbada da capela.  Cada vela representa um pedido, uma súplica à Santa ou um agradecimento por sua graça alcançada.

 

Sala dos Milagres

A sala dos milagres encontra-se no subsolo da Basílica Nova e é um dos locais mais visitados do Santuário Nacional. Criada para receber as peças entregue pelos fiéis, a sala mantém uma tradição comum a outros centros religiosos: a exposição de objetos ou declarações , as paredes são totalmente cobertas por fotografias deixadas no Santuário como manifestação de seus sentimentos, gratidão a imagem.

A arquitetura do Santuário Nacional de Aparecida, ou Basílica Nova, como é conhecida, impressiona os visitantes, O altar fica no centro do templo, que foi construído em forma de uma cruz grega.

Durante 15 anos, Pedroso ficou com a imagem em sua casa, onde recebia as pessoas para as  orações e a reza do terço, mais tarde, a família construiu um oratório para a santa, até que - por volta de 1734 - o vigário de Guaratinguetá resolveu erguer uma capela para a imagem de aparecida, no alto do Morro dos Coqueiros.

A capela foi aberta à visitação pública em 26 de julho de 1745. Conta-se que, nessa ocasião, um cavaleiro que passava por ali debochou dos fiéis que rezavam e resolveu invadir a capela a cavalo. Porém, a pata da montaria ficou presa num degrau e ele não só não conseguiu profanar o santuário, como tornou-se devoto da santa

A essa altura, a imagem já era chamada de Aparecida e deu origem à cidade de mesmo nome, que se separou da cidade de Guaratinguetá. Em 1834 teve inicio a construção da chamada Basílica Velha, pois a capela já não dava vazão ao número de visitantes.
Em 8 de setembro de 1904, foi realizada a coroação da imagem de Nossa Senhora Aparecida que passou a usar, oficialmente, uma coroa ofertada pela Princesa Isabel, em 1884, bem como o manto azul-marinho. Em 1908, o santuário recebeu o título de Basílica menor.

Mas O templo só foi consagrado pelo papa João Paulo 2o no dia 4 de julho de 1980.

Em 1978, após sofrer um atentado que a reduziu a quase duzentos fragmentos, foi encaminhada ao Prof. Pietro Maria Bardi (à época diretor do Museu de Arte de São Paulo (MASP), que a examinou, juntamente com o dr. João Marinho, colecionador de imagens sacras brasileiras. Foi então totalmente restaurada, no MASP, pelas mãos da artista plástica Maria Helena Chartuni.

Para Muitos  que questionam a devoção a imagem e consideram idolatria e os milagres apenas como produto da  fé, como desta vez a santa não reagiu, deixou ser destruida, prova que tudo que se fala é apenas lenda,que tomou força ao longo dos anos, como na Novela Roque santeiro.

Oque se comemora realmente dia 12 de outubro ? Será que realmente comemoramos a aparição de Maria mãe de Jesus na figura da imagem de aparecida ? logicamente que não, pelo menos para protestantes que consideram o feriado a instituição da idolatria.

2 comentários:

  1. É uma pena, que as pessoas são tão ignorantes
    em acreditar em um objeto de barro, que por tradições estão levando as pessoas ao inferno,
    porque há um só Deus, criador do céu e terra e tudo que há.
    Feliz a nação cujo Deus é o Senhor.

    ResponderExcluir
  2. É uma pena, que as pessoas são tão ignorantes
    em acreditar em um objeto de barro, que por tradições estão levando as pessoas ao inferno,
    porque há um só Deus, criador do céu e terra e tudo que há.E Jesus é o único caminho para o céu.
    Feliz a nação cujo Deus é o Senhor.

    ResponderExcluir